E a minha alma alegra-se com seu sorriso, um sorriso amplo e humano, como o aplauso de uma multidão...{Fernando Pessoa}

Se refletem no meu Espelho...

De SER AMOR...

O amor deve ser como a respiração. 
Deve ser apenas uma qualidade em você, 
onde quer que esteja, com quem esteja, 
 ou mesmo se você estiver sozinho, 
 o amor deve transbordar de você
Não é uma questão de estar amando alguém, 
é uma questão de ser amor...


O teu corpo...


Aqui onde os minutos são a rua 
em que nos sentamos toda
a tarde à espera do silêncio, 
onde o teu corpo pesa a
medida exacta do meu desejo...

Das ações e reAções....

Uma decepção pode diminuir o tamanho de 
um amor que parecia ser grande. 
Uma ausência pode aumentar o tamanho de 
um amor que parecia ser ínfimo. 
É difícil conviver com esta elasticidade: 
as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. 
"Nosso julgamento" é feito não através de centímetros e metros, 
e sim de ações e reações, de expectativas e frustrações. 
Uma pessoa é única ao estender a mão e, ao recolhê-la
inesperadamente, se torna mais uma. 
Não é a altura, nem o peso, nem os músculos 
que tornam uma pessoa grande... 
é a sua sensibilidade sem tamanho...


Essas coisas da vida...

Eu sei que por algum tempo vou 
seguir oscilante entre a razão e o desejo.
Algumas decisões são tomadas  com o coração inquieto 
e o pensamento tomado por muitas coisas que aconteceram
e que acontecem, tudo misturado.
Sei também que o tempo vai ser meu 
amigo para essas coisas da vida.
Com coragem eu sigo, nessa velocidade que eu não temo, 
nem mesmo de ousar ser feliz.

No NOSSO ritmo, jeito...

Sou uma caminhante na estrada do aprendizado do amor. 
Às vezes, exausta, eu paro um pouquinho. 
Cuido das dores. 
Retomo o fôlego. 
Depois, levanto e, seduzida, enternecida pelo chamado, cheia de fé, eu prossigo.
  Um passo e mais outro e mais outro e mais outro, incontáveis. 
Sei de cor que não é fácil, 
mas sei também que é maravilhoso olhar para o 
caminho percorrido e perceber o quanto 
a gente já avançou, no nosso ritmo, do nosso jeito, um passo de cada vez.

A vida TRATA...

Peço a Deus que me dê olhos que saibam enxergar 
meu próximo que precisa de cuidado. 
Que eu consiga entender que todos sofrem, cada um à sua maneira. 
Uns menos, outros mais, mas sofrem. 
A vida trata de nos entregar sofrimentos diários 
para que a gente perceba as graças escondidas.
Que eu saiba ser delicado ao falar e atento ao ouvir. 
Oro pedindo que Deus me ensine a dar valor ao que realmente tem valor. 
E que eu perceba que a vida é bem maior do que essa dor que sinto hoje. 
E que quando eu pensar em desistir, eu busque forças do céu.
Que eu silencie e ouça a Deus... 


Fazer por merecer...

Você pode comprar o tempo das pessoas; 
pode comprar sua presença física em determinado lugar; 
pode até mesmo comprar um determinado número 
de movimentos musculares por hora. 
Mas não pode comprar a devoção do coração delas. 
Isso você precisa fazer por merecer...

Quase uma prece...

Que minhas incertezas não abafem minha vontade de chegar. 
Que suas certezas estejam cada dia mais amarradas no meu olhar.
Que você possa valorizar minha paciência, doando a mim, 
a cada dia, mais um pedaço do teu riso. 
Que nossa intimidade seja leve e florida. 
Que tudo que eu preciso seja decifrado pelo seu cuidado de querer estar. 
Que eu possa proteger seus medos e enfrentar suas inseguranças com delicadeza. 
Que sua casca formada pelo tempo se rompa por completo, 
amanhecendo em ti, todo bonito sentimento. 
 
E que você não seja mais indiferente. 
Não. 
Que seja diferente dessa vez, por um instante, um mês, uma vida inteira.  
Que essa parcela de "quase" que ainda nos resta, 
se desmanche aos poucos no nosso amanhã, 
assim como o açúcar do nosso hoje anda de desmanchando no céu da nossa boca. 
Que você  possa me demonstrar seu afeto para reforçar minha paz. 
Que a cada dia você se entregue mais, sem freios e receios, sem menos nem mais. 
Que sejamos então, assim, sem pressa, quase uma prece.


En cada adiós...

Partir es morir un poco.
Es morir a lo que se ama,
uno deja un poco de uno mismo
en cada hora y en todas partes.

Es siempre el luto de un deseo,
el último verso de un poema.
Partir es morir un poco,
es morir a lo que se ama.

Y uno parte, y es un juego,
y hasta la despedida final
con el alma, uno deja
una huella en cada adiós.

Partir es morir un poco.

Nossa parte secreta...

O silêncio é doloroso,
mas é no silêncio que as coisas tomam forma,
e existe momentos em nossas vidas
que tudo que devemos fazer é esperar. 
Dentro de cada um, no mais profundo no ser, 
está uma força que vê e escuta 
aquilo que não podemos ainda perceber. 
Tudo o que somos hoje nasceu 
daquele silêncio de ontem. 
Somos muito mais capazes do que pensamos. 
Há momentos em que a única maneira de aprender 
é não tomar qualquer iniciativa, não fazer nada. 
Porque, mesmo nos momentos de total inação, 
esta nossa parte secreta está trabalhando e aprendendo.
 Quando o conhecimento oculto na alma se manifesta, 
ficamos surpresos conosco mesmos, 
e nossos pensamentos de inverno se transformam em flores, 
que cantam canções nunca antes sonhadas. 
A vida sempre nos dará mais do que achamos que merecemos...

Ontem..Amanhã..Hoje...

Ontem passado. Amanhã futuro. Hoje agora.
Ontem promessa. Amanhã probabilidade. Hoje ação.
Ontem parecia. Amanhã quem sabe? Hoje sem dúvida.
Ontem anseio. Amanhã mudança. Hoje oportunidade.
Ontem sementeira. Amanhã colheita. Hoje seleção.
 Ontem não mais. Amanhã talvez. Hoje sim.
Ontem foi. Amanhã será. Hoje é.
Ontem experiência adquirida. 
Amanhã novas lutas.
Hoje, porém, é a nossa hora de fazer e de construir.

Insatiable...

A experiência amorosa exige sacrifício. 
Não se ama para ser  recompensado. 
O amor é sua própria recompensa. 
Não resisto em citar Drummond falando da poesia coisa parecida: 
“Poesia, o perfume que exalas é tua justificação”. 
Não há amor fácil, mas todo amor é maravilha, saúde, 
“remédio contra a loucura”, coisa que Guimarães Rosa ensinou. 
É a experiência humana mais exigente. 
Não é contrato, troca de favores, 
investimento, é entrega  e compromisso.. 
Do “sacrificio” de amar nasce a mais perfeita alegria. 
Ninguém faz cara feia quando se sacrifica por amor. 
Não se trata de anulação, subserviência de quem ama, 
trata-se da morte do ego, tarefa a ser feita até o último suspiro.

A certeza de...

De tudo ficaram três coisas: 
a certeza de que estava sempre começando, 
a certeza de que era preciso continuar e 
a certeza de que seria interrompido antes de terminar. 
 Fazer da interrupção um caminho novo, 
fazer da queda um passo de dança, 
do medo uma escada, 
do sonho uma ponte, 
da procura um encontro...

















Mais tarde eu saberia que certas experiências se partilham 
até mesmo sem palavras, só com gente da mesma raça. 
O que não significa nem cor, nem formato de olho, 
nem tipo de cabelo, mas o indefinível parentesco da alma...
{Lya Luft}

Não é...

Não é feio parecer fraco. 
Não é vergonhoso ter saudades. 
Não é errado desistir se você tentou. 
Nem é imperdoável se doar sem que seja o suficiente. 
Estar vivo é isso. 
É perder as noites dentro de pensamentos e acordar
 preferindo que o sono durasse o dia todo, 
só pra não voltar aos mesmos pensamentos. 
Mas onde mora o melhor de nós se não 
nos sentimentos da saudades e lembrança? 
Olhar para trás, mesmo com saudades, 
significa que você seguiu em frente...

Quando os olhos...


Não estou falando de um mundo cor-de-rosa ou de pessoas perfeitas, 
sempre prontas para nos acolher, amar, caminhar ao nosso lado. 
Não falo disso, mas da tristeza nos olhos de quem vira as costas e a gente não vê. 
A beleza por dentro de um peito encouraçado que a gente não sente. 
A solidão de quem afasta um amor e se deita em camas tão frias. 
É do instante quando os olhos se perdem no nada 

 e nenhuma mentira é capaz de enganar a si mesmo. 
É desse instante solitário, desse instante sem abraço, que eu digo. 
Todo mundo vai virar as costas ou dizer que merece 
coisa melhor ou debochar das mentiras que eles contaram… 
mas a gente pode sempre voltar e acolher com amor, ser os primeiros a começar. 
Afinal, se a hostilidade do mundo despertar a nossa, quem vai ser o primeiro a sorrir?

Constituir um ser humano, um nós, 
é trabalho que não dá férias nem concede descanso: 
haverá paredes frágeis, cálculos malfeitos, rachaduras. 
Quem sabe um pedaço que vai desabar. 
Mas se abrirão também janelas para a paisagem e varandas para o sol...
{Lya Luft} 

Parte mais linda...

Sou eu, eu mesmo, tal qual resultei de tudo, 
Espécie de acessório ou sobressalente próprio, 
Arredores irregulares da minha emoção sincera, 
Sou eu aqui em mim, sou eu. 
Quanto fui, quanto não fui, tudo isso sou. 
Quanto quis, quanto não quis, tudo isso me forma. 
Quanto amei ou deixei de amar é a mesma saudade em mim.



E no fim das contas será sempre você com você mesma. 
Com os seus medos, suas fraquezas, sorrisos e levezas. 
Você com a parte mais linda que traz dentro. 
Mais humana...
(Bibiana Benites)



A emoção vive...

A beleza que agrada os instintos nem 
sempre é a mesma que acolhe a emoção.
O instinto é iludido pelos olhos, 
conduzido pelo aroma e escravizado pelo toque.
A emoção vive de entregas, de afinidades, da cabeça no colo, 
a mão o ombro, de olhar carinhoso e gestos confiantes.
Tristeza é descobrir que fez confusão, 
que viveu apenas instinto no lugar da emoção.

Eu não combino...

Eu não combino com qualquer cor, 
nem entro em qualquer sentimento mais ou menos. 
Minha disponibilidade também cansa, meus beijos que 
sempre descansaram na sua boca, também se esgotam. 
 E não sobrará nada mais em mim senão lamentar o que 
tiveste nas mãos e deixaste te escorrer 
por entre os dedos da sorte. 
Por não saber segurar com os sonhos e guardar 
dentro do lugar mais quente da sua respiração...

Têm de terminar...

Ficar bem nem sempre deixa outras opções. 
É estranho quando as coisas simplesmente têm de terminar. 
É o estágio onde todos os sentimentos já evoluíram para um nada. 
É o nada que você optou para parar de sentir dor. 
No início você briga, chora, faz drama mexicano. 
Então percebe que é cansativo demais 
manter esse jeito de levar as coisas. 
Acostuma-se… Não que pare de doer, mas que cai no seu 
entendimento que às vezes perdemos algo e não há solução. 
No fim você coloca um sorriso no rosto e finge 
que é sincero, até que a vida o faça realmente ser.

Da mesma matéria...

Cada um carrega contornos e nuances, paz e tragédia, razão e devaneio. 
Em cada um está depositado aspirações, conspirações, segredos, 
mas o que para uns é amor para outros é desespero, 
o que para uns é só viver para outros é intensidade, 
quando para uns é superfície para outros é profundidade. 
E assim o mundo segue cheio de paradoxos, pontos de vista, 
excentricidades, diferenças e identificações. 
Se as vezes somos tão parecidos outras somos diferentes, 
se as vezes somos os mesmos outras não somos iguais. 
Se por uma lado somos feitos da mesma matéria por 
outro temos a tal subjetividade. 
Se no fundo somos complexos na superfície somos só gente. 
Cada história em particular é movida por ensinamentos, 
aprendizados e experiências adquiridas. 
Existem pudores que precisam ser respeitados, 
existem dramas que precisam ser expostos, 
existem palavras que não precisam ser ditas 
e lágrimas que tem de ser derramadas. 
É necessário entrar no universo 
do outro respeitando os limites, 
os sinais vermelhos, a hora de voltar.


Fonte: http://natangaia.blogspot.com.br/

Fazer feliz...

Aprendi através da experiência que o amor, 
qualquer amor, quando maduro, não pede, tem. 
Não reivindica, consegue. 
Não percebe, recebe. 
Não exige, oferece. 
Não pergunta, adivinha. 
Existe, para fazer feliz.

Sins e sabores...


Não canso de brindar a vida. 
Dela quero a festa toda a que tenho direito: 
buscas, chegadas, erros, aprendizados, lágrimas, 
vitórias, pôr-do sol, encontros, curativos e refazer. 
Exalto o riso, o sossego, a reciprocidade, o colorido, o peito aberto. 
Dispenso os medos, as metades, o vazio, a insegurança. 
Por isso hoje te digo, não me venha com quases, 
não me venha com nuncas ou vestígios de talvez.
 Não venha com pseudo- qualquer coisa e emoções genéricas. 
Venha com sins e sabores de infinito. 
Venha com beijos, flores, palavras e margaritas. 
Venha com um móbile de estrelas, cheiro de canela ou baunilha, pés descalços, 
uma saia colorida pra rodar, poesia na parede e no viver, 
vontade e disposição pra sentir e um antídoto pros dias cinzas. 
Hoje que quero um dia leve, de seriedades breves e bobagens in-ter-mi-ná-veis.
Porque hoje é o meu dia...

Mas não quero...

Perguntaram a John Lennon: 
Por que você não pode ficar sozinho, sem a Yoko? 
E ele respondeu: Eu posso, mas não quero. 
Não existe razão no mundo porque eu devesse ficar sem ela. 
Não existe nada mais importante do que o nosso relacionamento, nada. 
E nós curtimos estar juntos o tempo todo. 
Nós dois poderíamos sobreviver 
separados, mas pra quê? 
Eu não vou sacrificar o amor, o verdadeiro amor, por 
nenhuma "piranha", nenhum amigo e nenhum negócio, 
porque no fim você acaba ficando sozinho à noite. 
Nenhum de nós quer isto, e não adianta 
encher a cama de transa, isso não funciona. 
Eu não quero ser um libertino. 
É como eu digo na música, eu já passei por tudo isso, 
e nada funciona melhor do que 
ter alguém que você ame te abraçando.


AINDA amar...

Ver. OBSERVAR. CONHECER. Desejar. Querer. Sentir. 
Flertar. Amar. Sofrer. Tentar. Buscar. CONTINUAR
Lutar. Perder. Esquecer. Sofrer. Desabafar. Retornar. 
Retomar. Lutar. SIMPLIFICAR. Amar. Omitir. Consentir.
Calar. Chorar. RIR. Odiar. Desamar. Amar. ENCANTAR
Iludir. Insistir. Persistir. RESISTIR. Desistir. 
Cansar. Descansar. Desanimar. Esquecer. Lembrar. 
Relembrar. CONTINUAR. PERDOAR. Mudar. Aprender. 
Crescer. VIVER. Alegrar. Entristecer. PROSSEGUIR
SEGUIR. Ainda AMAR.

O luxo da ALMA...

Todo mundo sente medo, sente dor, 
tenta consertar o que não tem conserto, 
carregamos marcas que não se apagam, 
ausências que fazem doer o peito. 
Mas ainda é possível ouvir estrelas. 
Deixar que nossa luz nos oriente. 
Ainda podemos rir como se a 
alegria fosse nosso melhor adereço.
Acredito que pés descalços é o luxo da alma. 
Que estar perto é menos físico que a gente pensa. 
Que olhos falam, palavras estragam, e silêncio grita. 
Que a gente quer amar pra sempre, 
abrir o peito, recitar poema, sem se
preocupar com o que os outros pensam. 
Sei que o que mais vale a pena é 
chamado de coisa pequena, 
que vira importante quando a  
gente deixa de achar que é grande...

Amanhecer por dentro...

Ao vestirmos nossa pele de fatos não planejados, 
fazemos que momentos inesperados visitem com frequência nossa jornada. 
Tão gostoso amanhecer por dentro antes de abrir a janela pra ver a cor do dia. 
E pintar nosso hoje de acordo com o sentimento da vez, 
sem se preocupar com o que acontece depois.
Não planejar algo significa deitar inteira no berço da surpresa, 
ora colorida, ora suspensa de ânimo. 
Não planejar, significa abrir-se aos riscos e tratar com fluidez 
nossos sentimentos, deixar-nos sentir sem artifícios.
Porém, por vezes tão cansada, preciso do esperado. 
Preciso da palavra delicada que chega sem que eu peça, mas que espero por ela. 
Preciso também descansar esses sustos que mudam o rumo do caminho e da prosa. 
Às vezes, só quero o risco que não dói tanto, só pra garantir que minha parcela 
de pranto será guardada em algum canto qualquer de difícil acesso interior. 
Queria poder transformar o não esperado em aconchego, em chamego 
a dois que deita na rede da ausência de preocupações. 
Em certezas que se sente em um olhar e que joga pra 
debaixo do tapete todas as dúvidas. 
Queria que o frio na barriga fosse uma cócegas gostosa 
que traz leveza e não aperto. 
É que eu gosto de correr riscos, sabe. 
De me percorrer toda pela minha parte de dentro. 
Mas tudo sempre tão intenso demais, exige uma 
alma preparada e especialmente armada de gentileza. 
E só por hoje, eu queria sentir um verão no meu pressentimento 
que aquece o momento e me abraça quando diz: 
calma moça, espera mais sem esperar nada, 
mesmo de surpresa, tudo desperta no seu tempo...

Sem desvios...

Confesso não saber quantas vezes terei que me reinventar, 
nem quantos longos caminhos ainda preciso percorrer,
nem qual toque, nem qual a maneira certa e nem quais
serão as palavras mais coerentes para usar. 

Realmente não sei.
Porém, tudo isso perde a importância,
quando a certeza que carrego na mochila,
é saber que meu rumo,sem desvios,
sempre será o seu coração.

Dentro de tudo...

Renova-te.
Renasce em ti mesmo.
Multiplica os teus olhos, para verem mais.
Multiplica os teus braços para semeares tudo.
Destrói os olhos que tiverem visto.
Cria outros, para as visões novas.
Destrói os braços que tiverem semeado,
Para se esquecerem de colher.
Sê sempre o mesmo.
Sempre outro. Mas sempre alto.
Sempre longe.
E dentro de tudo...

Além do amor...

Somos todos pobres humanos, somos todos frágeis e 
aflitos, todos precisamos amar e ser amados, 
mas às vezes laços inconscientes enredam nossos passos e fecham nosso coração. 
A balança tem de ser acionada: prevalecem conflitos ásperos e a hostilidade, 
ou a ternura e aqueles conflitos que ajudam a crescer e amar melhor, 
a se conhecer melhor e melhor enxergar o outro? 
O olhar precisa ser atento: 
mais coisas negativas ou mais gestos positivos? 
Mais alegria ou mais sofrimento? 
Mais esperança ou mais resignação?
Cabe a cada um de nós decidir, e isso exige auto-exame, avaliação. 
Posso dizer que sempre vale a pena, sobretudo vale a pena apostar 
quando ainda existe afeto e interesse, quando o 
outro continua sendo um desafio em lugar de um tédio, 
e quando, entre pais e filhos, irmãos, amigos ou amantes, continua a 
disposição de descobrir mais e melhor quem é esse outro, 
o que deseja, de que precisa, o que pode – o que lhe é possível fazer.
Em certas fases, é preciso matar a cada dia um leão; em outras, estamos num oásis. 
Não há receitas a não ser abertura, sinceridade, humildade que não é rebaixamento. 
Além do amor, naturalmente, mas esse às vezes é um luxo, 
como a alegria, que poucos se permitem.
Seja como for, com alguma sorte e boa vontade a alma do outro 
pode também ser a doce fonte da vida...


Na face de todos...

Haverá na face de todos um profundo assombro.
Na face de alguns risos sutis cheios de reserva
muitos se reunirão em lugares desertos
e falarão em voz baixa em novos possíveis milagres.
Como se o milagre tivesse realmente se realizado
muitos sentirão alegria,
porque deles é o primeiro milagre
e darão o óbolo do fariseu com ares humildes.
Muitos não compreenderão
porque suas inteligências vão somente até os processos,
e já existem nos processos tantas dificuldades…
Alguns verão e julgarão com a alma.
Outros verão e julgarão com a alma que eles não têm
ouvirão apenas dizer,
será belo e será ridículo...
Haverá quem mude como os ventos
e haverá quem permaneça na pureza dos rochedos.
No meio de todos eu ouvirei calado e atento, 
comovido e risonho, escutando verdades e mentiras
mas não dizendo nada...

Só a alegria de alguns compreenderem bastará,
porque tudo aconteceu para que eles compreendessem 
que as águas mais turvas contêm às vezes as pérolas mais belas...

Quase um fim...

Estou sempre nos limiares:
sou sempre esta pausa antes
do início de uma canção,
sou um momento de espera,
quase um fim de solidão.
Sou margem de caminho para a morte,
gesto que pressente atrás do véu:
promessa de chuvas sob o céu,
e vôo que antes de partir repousa...